ROLTS

A tributação de criptomoedas no Brasil

No Brasil, a tributação de criptomoedas ainda está em processo de desenvolvimento e adaptação, dado o crescimento exponencial do uso e comércio desses ativos digitais. A Receita Federal do Brasil tem regulamentado a questão através da Instrução Normativa RFB nº 1.888, de 2019, que estabelece a obrigatoriedade de declaração de operações com criptomoedas. Os contribuintes que realizam operações de compra e venda, permuta, doação, transferência, cessão, emissão e outras transações envolvendo criptomoedas devem informar essas transações à Receita Federal. O objetivo dessa normativa é aumentar a transparência dessas operações e combater crimes como lavagem de dinheiro e evasão fiscal, garantindo que ganhos de capital obtidos com criptomoedas sejam corretamente tributados.

No que se refere especificamente à tributação, os ganhos obtidos com a venda de criptomoedas são sujeitos à incidência de Imposto de Renda, de acordo com a tabela progressiva mensal, dependendo do valor de ganho líquido mensal. As alíquotas variam de 15% a 22,5%, dependendo do lucro obtido na operação. É importante destacar que a responsabilidade pelo recolhimento do imposto é do próprio contribuinte, que deve apurar o ganho de capital e recolher o imposto devido até o último dia útil do mês seguinte ao da transação. Além disso, a falta de declaração ou o atraso na mesma pode resultar em multas e juros. Essa abordagem reflete a tentativa do governo de enquadrar as criptomoedas dentro do sistema tributário nacional, lidando com os desafios que a natureza descentralizada e digital desses ativos apresenta.

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Posts Relacionados:

A alienação parental no Direito de Família

A alienação parental no Direito de Família

Refere-se ao ato de um dos pais ou responsável manipular a criança de forma a prejudicar, alterar ou destruir a relação afetiva desta com o outro genitor. Essa conduta pode

Direito Civil e Inteligência Artificial

Direito Civil e Inteligência Artificial

O Direito Civil está começando a se adaptar às complexidades trazidas pelo desenvolvimento da inteligência artificial (IA), enfrentando desafios inéditos em relação à atribuição de responsabilidades, direitos de personalidade e

A Revisão e resolução dos contratos por onerosidade excessiva

A Revisão e resolução dos contratos por onerosidade excessiva

A revisão e a resolução dos contratos por onerosidade excessiva são mecanismos jurídicos previstos no Direito Civil brasileiro para adaptar ou encerrar contratos quando eventos extraordinários e imprevisíveis alteram drasticamente

O direito das startups no Ordenamento Jurídico Brasileiro

O direito das startups no Ordenamento Jurídico Brasileiro

No ordenamento jurídico brasileiro, o direito empresarial tem se adaptado para atender às necessidades específicas das startups, que são empresas com modelos de negócios inovadores e escaláveis. Reconhecendo a importância

Demissão no período de experiência

Demissão no período de experiência

Quando um trabalhador é demitido durante o período de experiência, ele tem direitos trabalhistas a serem respeitados, apesar do vínculo empregatício poder ser encerrado por qualquer das partes com maior

O Princípio da insignificância no Ordenamento Penal Brasileiro

O Princípio da insignificância no Ordenamento Penal Brasileiro

No ordenamento jurídico brasileiro, o Direito Penal contempla o princípio da insignificância como um critério para desclassificar certos atos que, embora formalmente sejam considerados crimes, não atingem um grau de

TWITTER

CONFIRA AS ÚLTIMAS DO NOSSO INSTAGRAM: